Soneto da confiança

De hora em hora de confianças e de quando sua pele me tocava,      sutilmente seu corpo apoderava-se do meu. Minha alma te abraçava, culminando tal amor, tal entrega, em delírios de apogeu. Um par de olhos negros que me fitava - que êxtase chamá-lo meu - e sem dizer nada, sequer uma palavra, esse mesmo [...]

Anúncios

Antiguidades…

Eu sei que vou chorar, a cada ausência tua eu vou chorar, mas cada volta tua há de apagar o que esta tua ausência me causou. Mais um adeus, uma separação. Outra vez solidão, outra vez sofrimento. Volta, querido... tenho os olhos cansados de olhar para o além. Vem ver a vida... sem você, meu [...]