A justiça ainda não foi feita

Semana passada muito se falou do julgamento dos assassinos Nardoni’s. A semana mal começou e tudo que se fala é que a dupla teve o que merecia e da defesa pedindo cancelamento do julgamento. Sejam as mídias, seja o povo (e, afinal, quem não se comoveu com o caso!?), todos eles dão a justiça como feita… mas será que foi mesmo?

Justiça seria pegar esses dois filhos da puta, rasgarem suas testas, esganá-los até que perdessem a consciência e depois jogá-los do sexto andar. Óbvio que isso não os mataria… e a intenção é realmente essa! Porque eles teriam que sentir TODAS as dores que a Criancinha sentiu para compreenderem! E não fica por aí: seriam dois anos presos em total isolamento (como se tivessem morrido, assim como Isabella); sem papais e mamães levando comidinhas, sem troquinhas de cartas, sem verem ninguém. E aí, dois anos depois, como o tempo que levou julgamento, aí sim esses desgraçados deveriam ser arregaçados por um pelotão de fuzilamento digno dos nazistas.

Pois somente dessa forma eles se arrependeriam, somente dassa forma os pais desses monstros saberiam o que a mãe da Menina sente.. ao invés de ficarem declarando “tadinho dos meus filhos, são inocentes”.  Vá pá puta, antes que eu me esqueça! Extremista, exagerada, Draconiana? Se sim, com muito orgulho.

Não creio que a Justiça demore tanto para tomar uma decisão e venha me falar de Direitos Humanos com presidiários… alguém conseguiu esquecer do Menininho que morreu sendo arrastado por um carro num trajeto de 7km? Pois é, um dos assassinos, visto como criança pela “Justiça”, foi libertado, com proteção e hoje mora na Suíça. Aparentemente é mais fácil morar nos Gringos sendo assassino do que sendo uma pessoa honesta que deseja melhorar de vida!

Outro caso que me deixa tão revoltada quanto: o jogador Adriano, do Flamengo. Alto lá! Não estou defendendo vigorosamente o que ele fez; nenhuma mulher, ou pessoa tem que apanhar… se não existe motivos para tal. Agora vem uma maria-chuteira, ensandecida e começa a quebrar o carro de todo mundo… no mínimo, eu teria dado um murro no meio da cara! Assim: se você não quer violênia, não a comece! Essa daí não tem nada de tadinha, não! Tadinha, para mim, é aquela cabelereira que já tinha feito 8 B.O’s., instalou câmera de segurança no local de trabalho, tomou oito tiros do ex (um pra cada B.O.), flagrados pela câmera que ela instalou no trabalho e o assassino ainda vai a julgamento. Como se fosse preciso provar mais alguma coisa!

E acho absurdo que ainda venham me falar em Lei Maria da Penha (que obviamente não funcionou para a falecida cabelereira) quando uma mulher simplesmente recebe o troco… se não aguenta briga com marmanjo, não inicie. Se não aguenta o tranco, não saia na mão. Roupa suja se lava em casa, dizia Vovó! Mais absurdo ainda, só as mulheres que defendem tal ato: “toda punição sabe porque veio”. Assim sendo, não deveria ter sido rotulado de crime quando homem limpava a honra com sangue, né? Mas aí não pode, mas aí é brutalidade! Tenho horror à hipocrisia, gente!

Ah, mas mulher é sexo frágil… u-hum! Como se isso fosse um alvará, uma desculpa por termos menor força física. No entanto com pau, revólver e canivete qualquer um pode mais diante de um desarmado. A Loira do Imperador sabe bem disso! Aí o discurso de igualdade entre os sexos cai por terra… que revolução é essa que só quer o que lhe é conveniente? Desde quando um ato não tem consequências?

Ninguém deve ser vítima de violência, seja mulher, criança, homem ou animal. Mas colocar mulher como ser indefeso é um pouco de ilusão, quando a culpa já é dela. No entanto, com o número de barracos que já presenciei, ou li sobre, não seria de todo errado concordar com Nelson Rodrigues… afinal, aparentemete, e para algumas, a máxima “elas gostam de apanhar” é 100% verdadeira!

Anúncios