O amor é cheio de defeitos

Recebi este vídeo agora pouco e, obviamente, fiquei pensando na mensagem:

Quando alguém não faz mais parte da nossa vida, a primeira coisa que pensamos são nas boas lembranças, na dor de não tê-la mais perto.
Obviamente lembramos também de brigas, momentos tristes e até daqueles momentos em que você desejou que ela sumisse do mundo! Quem nunca, não é?

O que ninguém fala muito sobre – até porque no consolo o que mais se ouve “o tempo ameniza tudo” – é que são justamente as pequenas imperfeições que deixam um eco. O ronco ensurdecedor, a baba no travesseiro, o “agradável” odor que toma conta do banheiro, a mochila jogada no meio da sala, a roupa amontoada no canto do quarto, as meias penduradas até no abajur…
Sem isso, com silêncio e casa arrumada, tudo parece mais fora do lugar que antes. É um vazio que ninguém sabe como preencher…

É importante, crucial eu diria, saber que quando se ama, ama-se alguém com os defeitos  e não apesar dos defeitos. Claro que tudo que der pra melhorar a gente deve fazer em nome de algo bem maior.

“In the end is these small things that you remember: the little imperfections that make them perfect for you”

E que nada seja por acaso

Imagem

Eles se amam. Todo mundo sabe mas ninguém acredita.

Não conseguem ficar juntos. Simples. Complexo. Quase impossivel. Ele continua vivendo sua vidinha idealizada e ela continua idealizando sua vidinha.

Alguns dizem que isso jamais daria certo. Outros dizem que foram feitos um para o outro. Eles preferem não dizer nada. Preferem meias palavras e milhares de coisas não ditas.

Ela quer atitudes, ele quer ela.

Todas as noites ela pensa nele, e todas as manhãs ele pensa nela. E assim vão vivendo até quando a vontade de estar com o outro for maior do que os outros.

Enquanto o mundo vive lá fora, dentro de cada um tem um pedaço do outro. E mesmo sorrindo por ai, cada um sabe a falta que o outro faz.

Nunca mais se viram, nunca mais se tocaram e nunca mais serão os mesmos.

É fácil porque os dias passam rápidos demais, é dificil porque o sentimento fica, vai ficando e permanece dentro deles. E todos os dias eles se perguntam o que fazer.

E imaginam os abraços, as noites com dores nas costas esquecidas pelo primeiro sorriso do outro.

E que no momento certo se reencontrem e que nada, nada seja por acaso.”

. tati bernardi .