You always hurt the one you love…

Não sou, nunca foi ou tenho a menor pretensão de me tornar crítica de cinema. Gosto é gosto, e pronto! Mas gosto quando um filme mexe comigo; não na superfície (lágrimas, gargalhadas, susto), mas no mais profundo do meu eu. Que me faz pensar, que não sai da minha cabeça. Seja para o lado bom, seja para o lado ruim.

O filme “Blue Valentines”  narra a história  das personagens de Michelle Willians (a eterna Jen de Dawson’s Creek) e Ryan Gosling. O pecado, para mim, é a tradução: nada de “Namorados para sempre”, como achei que seria! O filme retrata, com cortes no tempo e dadaísmo de sentimentos, a ascensão, apogeu e queda de um relacionamento. Daqueles que pareciam que iam durar para sempre, mas cujas diferenças de valores, de desejos e pormenores rumam ao divórcio. E nem tão amigável assim!

É triste, melancólico e ao mesmo tempo romântico, cativante, poético até! Existe algo mais bonito que ver um amor genuíno nascer, proveniente da ingenuidade, dos sonhos e da esperança dos “felizes para sempre”?

A narrativa é um soco na boca do estômago, respirar algo tão palpável congela os pulmões. Realismo e realidade puras! Você para de se perguntar SE uma relação vai terminar para QUANDO ela vai terminar. Não, não é inspirador para casais apaixonados, mas finca seus dois pés no chão.  Por mais que você tenha assistido o excelente Diário de uma Paixão, também com o Ryan, e desejado um amor daqueles, é este filme que te faz cair na real e perceber que a mídia, entre tantas coisas, vende realidades paralelas. Não sou pessimista, amargurada, mal amada ou recalcada, mas hoje as pessoas optam tanto pelo supérfulo, pelo menos complicado, pela quantidade que esquecem de observar as pequenas coisas. Aquelas que importam, que não devem ser deixadas para trás, que fazem a vida menos difícil e muito mais feliz. E por isso Blue Valentines vira o retrato de uma geração.

You always hurt the one you love… the one you shouldn’t hurt at all. You always take the sweetest rose and crush it till the petals fall.
You always break the kindest heart with a hasty word you can’t recall. So if I broke your heart last night, it’s because I love you most of all”

Anúncios

5 comentários sobre “You always hurt the one you love…

  1. Uau, certamente isso nos faz pensar e nos traz para “terra” novamente, mas vendo por uma ótica positiva, nos faz também ter mais cuidado com quem amamos, e sermos mais “delicados” em nossos relacionamentos, se atentando aos detalhes, afim de mantê-lo o mais saudável e duradouro quanto for possível.
    “Que não seja imortal, posto que é chama, mas que seja infinito enquanto dure”.

    Beijocas e obrigada mais uma vez por nos prestigiar com suas reflexões. Espero que esteja bem.

  2. Hehehehehe, Oi Ni!!!
    Estou ótima… correndo uito no trabalho e coms os preparativos do casamento!
    Esse texto foi mais uma reflexão mesmo, indo ao encontro do que vc falou e de cuidarmos de quem a gente ama, de fazermos nosso melhor porque uma hora tudo vai acabar!
    Espero que esteja td bem com vc tbm!!!

    Beijos

  3. Que bom! Jájá chega o grande dia! Com certeza serão muito felizes, torço por você viu?
    Também estou bem, com muuuuiita correria no trabalho….
    Ótima semana e escreva mais vezes! Beijos

  4. Oie, tudo bem?
    Eu entrei por acaso, li alguns dos seus textos e fui ficando. Gostei da maneira como você escreve e espera seus sentimentos e percepções. Boa sorte na sua empreitada.
    Um abraço
    Dolly

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s