Pequena reflexão!

DSC00155 É interessante sob quais efeitos podemos começar a questionar nossa vida, a vagar no tempo e espaço pensando em tudo e em nada ao mesmo tempo…

Meus dias têm passado rápido demais, algumas vezes parecem vazios, de tão cheios e hoje, pela primeira vez em algumas semanas, eu tive tempo. Entrei numa daquelas lojas que vendem de tudo um pouco, peguei um carrinho e comecei a enchê-lo com tudo que eu queria comprar. À  medida que a pilha aumentava, meu desespero mudo aumentava também…

Não só porque meu cheque especial iria para a estratosfera caso eu finalizasse a compra, mas por perceber que minha vida ainda não estava conforme havia planejado três anos atrás.  Ao me dar conta disso (e devolver todas as mercadorias), minhas feições eram as mesmas de uma criança que ganha roupa no anivesário.

Eu, que sempre fiz de tudo para realizar meus desejos e sonhos, estava silenciosamente à beira de um ataque de nervos, de desespero, de choro. Há um mês parecia que finalmente terminaria de montar essa quebra-cabeça de zilhões de peças. Há um mês realizei o sonho que alimentei desde que entrei na faculdade e hoje senti meu mais importante desejo esgueirar-se novamente. Não porque eu não tenha agarrado meu sonho com firmeza e força, não porque eu havia desistido de lutar, mas porque pareceu-me ser essas conjuções estelares com o alinhamento do Zodíaco em conjectura com as ironias da vida que resolvem te testar, te exigir um pouco mais de sacrifício.

Passei 25 anos da minha vida atropelando pessoas, montando estrategemas, me expondo, me auto destruindo, fazendo jogos meticulasamente calculados parecerem atitudes espontâneas porque eu era capaz de tudo pelos meus desejos. Ok, foram atos egoístas, egocêntricos e talvez eu não devesse me orgulhar disso… pois depois a vida veio cobrar os sacrifícios – se tivessem me pregado na cruz seria menos dolorido.

Então com o tempo livre você é capaz de ver qualquer coisa com mais clareza – antes que sua visão seja deturpada pela ociosidade – e eu vi que eu já não sou quem fui…