Cabelo, cabeleira

Ok, não é novidade alguma que nós, mulheres, somos público-alvo de 97% das campanhas publicitárias e, assim, consumidoras por natureza e influência. É um sem-número de sapatos, bolsas, cremes, batons, maquiagens, roupas, acessórios, shampoos, condicionadores, esfoliantes, esmaltes, bases, pomadas para cabelo, hidratantes, óleos corporais, lingeries, jóias, tinturas para cabelo, tratamentos estéticos, tipos de massagem, livros… UFA!

Cada marca lança mão de sua melhor campanha e não existe mulher que não se encante por pelo menos uma delas. Por menor condições que uma ser tenha, você vai achar um batom, um hidratante, um creme para cabelo… você vai notar que ela se cuida, mesmo que não coma!

O engraçado de precisar comprar artigos de beleza é que aí está um ramo no qual nunca me especializei. Shampoos, hidratantes, batons, bases, corretivos eu entendo, mas dado que hoje meu cabelo é quase loiro – e ressecado nas pontinhas! – eu precisava mesmo de uma hidratação. Infelizmente não gozo mais do privilégio de ter um cabelereiro à mão, então fui eu, como uma boa ignorante que se acha informada após uma pesquisa na Internet, procurar por uma máscara de reparação intensiva.

Tarefinha difícil!

A vendedora me apresentou diferentes potes, em cores, marcas, valores, componentes e todos eles me prometeram o cabelo da Cléo Pires. Sem contar que meu lado feminino mega vaidoso já estava coçando para atacar as outras prateleiras. Acabei no balcão com um creme de uso diário, uma máscara de super-power-ultra-mega-blaster poder de regeneração, um creme noturno para as pontas, um creme de pentear de chocolate, um shampoo reparador e duas ampolas de queratina.  Valor:  R$213,47.

!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Exato. Como? Primeiro: o lugar do chocolate para mim continua sendo na minha boca; com esse valor eu pago duas mensalidades do plano de saúde da minha filha, quase faço a compra do mês (vantagem de ter uma família pequena) e pago minha empregada. É quase engraçado ver como a máquina publicitária funciona e mais interessante ver a combustão dos regentes consumismo e desinformação.

Dei um basta naquilo: peguei um shampoo – afinal o meu acabou e odeio cabelo sujo – e uma máscara que posso usar até duas vezes na semana, rezando ter acertado na escolha.  Só não deu para segurar muito o consumismo e ainda trouxe um maravilhoso lápis de olho saltitando na sacolinha.

Anúncios