Ps.

danca7

“Se queres sentir a felicidade de amar, esquece a tua alma.
A alma é que estraga o amor; as almas são incomunicáveis.
Deixe o teu corpo entender-se com outro corpo, porque os corpos se entendem, mas as almas não.”

Ao menor contato da sua pele, meu corpo estremece em ondas e revoltas dignas de tsunamis. As pontas dos seus dedos percorrendo minhas costas,  arrepiam meus sentidos e tudo é torpor.

Enroldo-me nos seus braços, encosto meu rosto no seu, inalo seu perfume, eriço minha coluna e iniciamos o compasso de uma dança sem fim; marcada por diversos ritmos, passadas e contrapassos.

Nessas horas, e em tantas mais, não quero nada além do seu corpo, além do contato das suas mãos e as músicas cantadas ao pé do ouvido. Seus vocês… a alma, a essência, o âmago, o lado B, eu sei.

Os fatos, quando devem acontecer, encontram seus próprios meios. Relutância inválida, temor desnecessário, negação desperdiçada… o futuro é incontestável; caberá a nós o que há de vir.

Dizia Shakespeare que não se deve cantar a felicidade, pois a inveja tem sono leve.  Então eu a danço; embalada nos seus braços, guiada pelos seus olhos, compenetrada no seu sorriso…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s