Na Riviera

Outra vez mais encontro-me nos teus braços, procurando respostas que já não possuem perguntas. Divago no teu peito definido, nu, suado e lambuzado de saliva. Meus cabelos espalham-se por ele, grudados como se fossem os tentáculos que já quis possuir para nos enlaçar, nos dias que desejei sermos para sempre eu e você.

Mais um deleite. Apenas pelo ápice da consumação do meu eu antropofágico, cerrando olhos, punhos e dentes diante do pré-orgasmo, pré-convicções, pré-verdades. Desarmo-me perante tua lembrança, recordando as noites que esperei em vão todas essas declarações. Essas que você faz agora, ao pé do ouvido, enrolando uma mecha do meu cabelo… como se estivesse disposta a ouvir, somente balanço a cabeça, almejando estar em outro corpo, em outros lençóis.

E enquanto sua narrativa – hoje tediosa e incrédula – segue, imagino uma mão um pouco menor que a sua, percorrendo minha panturrilha, buscando a recompensa morro acima. Vasculhando, buscando, explorando, encontrando. E, então, a boca abafa meus gemidos, fazendo calar-me com uma língua que ultrapassa limites do imaginável e num movimento ágil, enlaçamos pernas e corpos, rolamos na cama king size embrulhada em lençóis de cetim. O ritmo empregado provoca suores, fazendo-nos deslizar na refrescância do tecido e permanecemos unidos na perfeita argamassa de suor, saliva, sêmen, gozo e desejo que não finda. E sentimento que não se define. E o silêncio que explica tudo. E a certeza de algo vindouro.

Despertada de um devaneio, inicio o ciclo que não se fecha, em mim ou em você. Descubro que tampouco somos suficiente para nós dois, nunca fomos: nem ontem, nem hoje, nem amanhã. Você permitiu que eu ficasse livre tempo demais, com vontade de viver demais. Atualmente meu desejo encontra-se a quilômetros de nós dois.

Mesmo assim devoro-te, devoro-me e nesse instante, relego ao relento o teu sentimento. Um outro coração… e desse ponto de partida, questiono toda minha vida.

 

_Texto original de 25/03/2004, mas adaptado – e muito bem situado – para o hoje_

Anúncios

Um comentário sobre “Na Riviera

  1. Realmente majestoso…
    Parabéns de verdade…
    Se tiver mais desses ai manda pro meu e-mail que adoro ler esses textos criativos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s